quinta-feira, 28 de outubro de 2010

VLT - Uma alternativa ao oligopólio em Salvador


Na economia, oligopólio (do grego oligos, poucos + polens, vender) é uma forma evoluída de monopólio, no qual um grupo de empresas promove o domínio de determinada oferta de produtos ou serviços.


Em Salvador, o sistema de transporte urbano é um dos mais eficientes do Brasil e seus usuários estão sempre felizes e satisfeitos, os ônibus e as estações (Pirajá, Lapa, Mussurunga e Transbordo) são exemplos de organização, limpeza e eficiência e não precisamos nos preocupar com a prática do oligopólio em nossa cidade.

Entretanto, vamos supor que o transporte público em Salvador não fosse assim tão maravilhoso. Certamente, seriam necessárias medidas para coibir ou amenizar esta situação hipotética. Quais as soluções encontradas pelas administrações municipais comprometidas com o bem estar da população?

Uma solução adotada por algumas metrópoles é investir no VLT (Veículo Leve sobre Trilhos). Veja as principais vantagens deste sistema em relação ao BRT (corredores de buzus):


- Atende demandas de alta e média capacidade (pode transportar até 400 passageiros por veículo contra míseros 160 passageiros dos ônibus articulados)

- Oferece maior conforto e segurança (motor silencioso, maior rapidez, ar condicionado, utiliza trilhos)

- Não poluem o ar, pois utilizam eletricidade para seu funcionamento

- Possuem custo de implementação muito inferior ao metrô e prazo de instalação equivalente aos corredores de ônibus, com uma grande vantagem: seu custo de manutenção é inferior ao BRT que precisam queimar milhares de litros de diesel e utilizam pneus (o que interfere bastante no preço da tarifa). Além disso o BRT, assim como os demais ônibus estão submissos  a campanhas salariais e pressões dos empresários pelo aumento de lucro.

Exemplos de operação do VLT:




5 comentários:

André disse...

Cléber, você também deveria fazer um post falando sobre o Monotrilho como possibilidade de transporte em massa.

Cleber disse...

André, o monotrilho realmente é um meio de transporte interessante e possui algumas vantagens, como por exemplo, o de não ser necessário fazer grandes desapropriações para sua implementação. Inclusive, esse foi o sistema adotado por Manaus como projeto de mobilidade para a Copa do Mundo de 2014.

Entretanto, a sua capacidade de transporte é inferior ao VLT. Tem-se que levar em consideração ao optar por este sistema, as seguintes variáveis: demanda de passageiros, custo de desapropriações se a opção for BRT ou VLT e também a interligação com outros modais.

Em outra oportunidade, seguirei sua sugestão, vou fazer um post sobre este assunto.

André disse...

Cléber,
tem uma outra opção que é o Translohr, que é utilizado em Clermont Ferrand na França : http://en.wikipedia.org/wiki/Translohr

AmBuss disse...

Cléber,
além de se investir em transporte de alta capacidade como VLT e Metrô é preciso também quebrar a cultura de incentivo ao uso do transporte individual (carros de passeio e motos) pois mesmo com um VLT ou Metrô, se essa cultura for mantida, pouco adiantará.
Portanto, o que deve ser feito é implantação de transporte de massa de alta capacidade e PARALELO a isso criar meios de desestímulo do transporte individual tais como restrição a carros de passeio em certas avenidas e em certos horários, aumento da taxação de impostos sobre o preço de carros de passeio novos e outros.

n/a disse...

POR FAVOR, ENTREM NA COMUNIDADE: http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=112508507

CONTRA O BRT EM SALVADOR!