terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Ministério Público pede que a Prefeitura de Salvador devolva os trens do Subúrbio à União

Ponte dos trens do subúrbio interditada: exemplo do descaso com a população

Segundo a Prefeitura de Salvador, os trens do subúrbio geram um gasto operacional de R$1,2 milhão por mês para os cofres do município. Esta afirmação foi feita por João Henrique em novembro como reação a proposta do recém eleito senador Walter Pinheiro de transferir a administração do metrô de Salvador para o Governo do Estado. O curioso é que foi divulgado esta semana (05/12/2010) pela imprensa, que entre os anos de 2005 e 2010 a Prefeitura de Salvador recebeu o montante total de R$ 34,9 milhões do governo federal para manter esta mesma ferrovia.

A Companhia de Transporte de Salvador (CTS), empresa da Prefeitura de Salvador que assumiu a administração, a operação e manutenção da ferrovia recebeu ainda R$ 32 milhões em ações ordinárias do capital social da CBTU e também herdou todo o seu quadro de funcionários. No ato do convênio, foi pactuado que a CTS receberia R$ 24 milhões para reabilitação do trecho Calçada-Paripe, além de um total de R$ 12 milhões divididos em três parcelas semestrais de R$ 4 milhões para custear o déficit operacional do sistema ferroviário, já que o sistema era deficitário.

O fato concreto é que a situação dos trens do subúrbio é considerada gravíssima pelo péssimo estado de conservação do sistema. “A despeito dos vultosos repasses de verbas federais” para a prefeitura realizar obras de reabilitação e o custeio operacional dos trens entre os bairros da Calçada e Paripe, a ferrovia está à beira do colapso, segundo relata a Ação Civil Pública movida pelos procuradores da república Wilson Rocha de Almeida Neto e Danilo Pinheiro Dias.

O Ministério Público Federal na Bahia (MPF-BA) ingressou com uma ação judicial pedindo que a Prefeitura do Salvador devolva, imediatamente, as gestões dos trens do subúrbio e a administração do Metrô para a União e à Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU). Os procuradores da república responsáveis pelo processo concluíram que a prefeitura não dispõe de “experiência administrativa” e “capacidade financeira” para gerir os sistemas ferroviário e metroviário da cidade.

O prefeito João Henrique foi procurado através de sua assessoria de imprensa, mas preferiu não se pronunciar. O secretário de comunicação Diógo Tavares informou que a prefeitura não tinha sido notificada judicialmente, até este domingo. Segundo ele, a prefeitura municipal só irá se manisfestar sobre os pedidos do MPF-BA depois que tiver conhecimento do teor da ação civil ajuizada na Justiça.

Referência: A Tarde

10 comentários:

Pregopontocom @ Tudo disse...

Os trens não são deficitários,eles são vitimas do descaso e falta de interesse do poder publico municipal pelo sistema,para favorecer o transporte por onibus naquela região.

AmBuss disse...

Discordo pregopontocom,
quem sai favorecido de verdade são os carros de passeio.

AmBuss disse...

Com os 2 sistemas de transporte coletivo deficitários (trem e ônibus), cada vez mais pessoas se sentem atraídas por adquirir um carro de passeio. Juntando o transporte coletivo de má qualidade há também diversas facilidades oferecidas na compra de 1 carro de passeio tais como longos financiamentoe, consórcios, etc.
A pessoa fica utilizando o transporte coletivo por 1 tempo e assim que consegue juntar dinheiro suficiente, compra um carro de passeio.
Justamente por isso no final quem sai favorecido de verdade são os carros de passeio.

Cleber disse...

André, ônibus deficitário???? Você acredita mesmo que o SETPS é uma instituição filantrópica? A ponto de até doar projetos à Prefeitura para aumentar seu déficit?

Reveja seus conceitos...

AmBuss disse...

Cléber,
vou explicar melhor o que eu argumentei.
O sistema de Ônibus é deficitário do ponto que não há frota de qualidade, há superposição de linhas e outros problemas. Dessa forma então, temos um sistema de Ônibus deficitário. Déficit não no sentido de faturamento e sim no sentido de não ser 1 bom serviço para a população.

Cleber disse...

Nesse caso, acho que precário aplicar-se-ia melhor!

Pregopontocom @ Tudo disse...

Parece mesmo é que o povo do suburbio adora andar de automovel...e eles não estão nem ai,afinal pra que trem?!!! se eles querem mesmo e ficar subindo e descendo em seus carrões.E os busus que servem aquela região?!!! andam batendo carroceria "vasios" por falta de passageiros.Pobres donos de onibus, a continuar assim desprezados e vitimas da SOBERBA do povo e ainda tão desamparados pela prefeitura vão acabar falindo,tudo para que o povo do suburbio ande apenas de carro.E voces...acreditam nisso?!!!...na Branca de Neve,na Carochinha,na Chapeuzinho Vermelho?!!! EU ...SINCERAMENTE NÃO.

AmBuss disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
AmBuss disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
AmBuss disse...
Este comentário foi removido pelo autor.