terça-feira, 1 de março de 2011

Lobby induz jornalistas baianos a dizerem que o BRT é 3,5 vezes mais barato que o VLT


Um forte lobby de representantes do segmento empresarial rodoviário está induzindo setores da imprensa baiana a difundir que o Bus Rapid sobre Pneus, sistema obsoleto que só existe em cidades do terceiro mundo, é 3.5 vezes mais barato sua implantação do que o VLT - Veículo Leve sobre Trilhos, projeto da Seplan para implantar em Salvador.

Isso não tem o menor sentido. Até porque o governo não iria tomar uma autorização de empréstimo junto a Assembléia Legislativa, via BNDES, no valor de R$570 milhões para implantar num sistema que já é testado em várias partes do mundo (o VLT), e só após os técnicos da Seplan fizeram um anteprojeto, testado e aprovado, se descobre que é triplo do preço. Em sendo assim, de acordo com o lobby dos rodoviários, já que o Bus Rapid é 3.5 vezes menos do que o VLT far-se-ia o Bus por R$190 milhões.

É evidente que o VLT usando o canteiro central da Avenida Paralela é mais barato porque não tem grande obra de engenharia, não é preciso fazer ponte nem viaduto, há uma via natural à disposição dos técnicos. Quanto ao material rodante todo mundo sabe que se houver carga de passageiros compensatória, aparecem empresários de todo mundo para bancar essa contrapartida.

Com o metrô de Salvador isso não aconteceu porque não havia uma carga de passageiros que compensasse essa exploração entre a Lapa e Pirajá, tanto que os espanhóis interessados no projeto desistiram por isso e o pepino ficou com o governo da Bahia, que teve de comprar os trens. Depois, já no governo JH, encurtou-se o metrô e a situação piorou. Como FHC; nem Lula gostava de Salvador, o metrosal nunca foi concluido.

Mas, um VLT interligando o Metrosal com Iguatemi/Aeroporto/Lauro de Freitas/Camaçari é perfeitamente viável, ainda mais se o projeto retomar a Pirajá, como anunciou o governador Wagner em sua mensagem na Assembleia. Estranha-se, pois, segundo depoimento do Secretário Cícero Monteiro, em A Tarde, que o governo da Bahia ainda esteja em dúvida de implantar o VLT.

Fonte: Bahia Já
                                 

3 comentários:

Pregopontocom @ Tudo disse...

Para os que não sabem o SETPS não é nenhuma secretaria do governo,é uma entidade privada que cuida dos interesses comerciais dos donos de ônibus de Salvador,que se arvorou em fazer um projeto fajuto chamado BRT e entrega-lo graciosamente a prefeitura de Salvador,e numa total falta ética e de respeito para com os profissionais da Seplam,esta sim uma secretaria do gov.,plantam mentiras e inverdades sobre o VLT um sistema adotado hoje em todo mundo civilizado e que vem resolvendo com grande eficiência os graves problemas da Mobilidade Urbana com Sustentabilidade.A PARELELA É DO VLT Abracem essa causa

Lucas Morais Santos disse...

Cara, esse BRT é um insulto!!!

Lucas Morais Santos disse...

Mais um post lá no blog, depois de mil anos! http://transporteurbanossa.blogspot.com/2011/03/um-convite-para-morte.html